Palavra de atriz – Soraya Ravenle

Camaleoa

“Um musical americano com alma carioca. Esta pode ser uma boa definição para as Noviças Re – beldes, de Dan Goggin, com direção de Wolf Maya. Praticamente um irmão do besteirol, que, por sua vez, é filho das chanchadas. Ambos nascidos em lugares distantes um do outro, mas igualmente alegres e ir – reverentes. Claro que a adaptação de Flavio Marinho enfatiza e traduz esse parentesco nas piadas políticas devidamente atualizadas, as sexuais e as de costumes.

A partir de uma situação insólita, acontece uma série de números cômicos, que exige dos intérpre – tes preparo e experiência. É uma farra, para quem faz e para quem assiste. Uma explosão de risos! Sinto-me cada vez mais elástica, mais camaleoa.

Explico: em 2014, após celebrar Chico Buarque durante meses, no musical de Charles Möeller e Claudio Botelho, participei da ópera autoral de Tim Rescala e José Mauro Brant, O Pequeno Zacarias. Emendei sem respiro as Noviças Rebeldes. No meio disso, fiz shows com o Libertango, grupo de música formado pela família Caldi, e também Lili – uma his – tória de circo, infantil com direção de Isaac Bernat.

Agora, começo a gravar a novela I love Paraisó – polis, da Rede Globo, de Alcides Nogueira e Mário Teixeira, também com Wolf Maya na direção. São tantos mundos tão diversos… Isso me agrada. Como tudo na vida tem muito mais que dois lados, o fato de não pertencer a uma tribo tem lá suas vantagens. Mas isso é outro assunto, para longas conversas. E que bom que vamos partir com as Noviças para uma turnê e experimentar os risos diversos deste País gigante que não para de acordar.

6 de abril de 2016
admin